No último sábado, 27 de outubro, a Organização Internacional Nova Acrópole – sede Lauro de Freitas, promoveu uma palestra com o título “A Felicidade Segundo Aristóteles”. A professora Felixsandra Alves se baseou nos pensamentos do “Filósofo Estagirita” – como Aristóteles era conhecido – e trouxe diversos questionamentos que sempre estão presentes no cotidiano humano: “No que consiste a felicidade?”; “É ela o que nós seres humanos buscamos?”; “Onde a encontramos?”; “O que a felicidade tem a ver com a ética?” e, afinal, “Por que o tema tanto nos intriga?”.

Aristóteles foi discípulo de Platão na Academia em Atenas e posteriormente mestre de Alexandre Magno. Quando este assumiu o trono da Macedônia, ele retornou a Atenas e abriu o famoso Liceu. Seus escritos abrangem diversos assuntos como a física, a metafísica, as leis da poesia e do drama, a música, a lógica, a retórica, o governo, a ética, a biologia e a zoologia.

No livro Ética a Nicômaco, obra batizada em dedicatória a seu filho, Aristóteles fala da prática da virtude como meio para a felicidade, que seria o maior objetivo do ser humano. “Assim, toda virtude, quando colocada em prática, gera em nós a possibilidade de autoconhecimento através da reflexão. Ao buscar um referencial interno, que funcione como uma ferramenta dentro do cotidiano, nossas ações tendem a ser mais belas, boas e justas, e nós, felizes”, comenta.

E continua: “O filósofo nos apresenta então um conceito quase matemático de virtude. Ele nos diz que ela é sempre o ponto médio entre dois extremos, o do excesso e o da deficiência. Tomemos como exemplo a virtude da coragem: seu extremo da deficiência é o medo, que nos paralisa, e o do excesso é a temeridade, que nos torna irresponsáveis e inconsequentes”.

A boa notícia, então, é que as virtudes podem ser adquiridas, pois a forma de desenvolvê-las é através da prática de atos virtuosos. Segundo Aristóteles: “nós nos tornamos justos praticando atos justos, temperantes praticando atos temperados, corajosos praticando atos corajosos”.

Foram essas, e ainda são, as questões que impulsionaram todos os filósofos à maneira clássica. Os filósofos são aqueles que buscam essas respostas, os que estão dispostos a ir além do convencional, e a fazer algo para que o mundo possa um dia ser realmente melhor. Esse é um convite à Filosofia.

Aristóteles é um dos filósofos estudados no Curso de Filosofia da Nova Acrópole que acontece em todas as nossas escolas do mundo.

 

 

Tags:

©2015 Organização Internacional Nova Acrópole - Brasil