A Organização Nova Acrópole da Cidade de São Paulo – sede Santana, comemorou no sábado, dia 17 de março, com alegria, música e poesia, a chegada do Outono.

Essa celebração faz parte de uma tradição muito antiga e de acordo com a professora Eloísa Moura, “as sociedades clássicas do Oriente e do Ocidente realizavam festas de mudanças de estações para estabelecerem um marco claro para que as pessoas refletissem sobre sua conexão com a Natureza”.

O mito grego da deusa Deméter em sua busca por Perséfone abriu as festividades. Conta-nos a história da filha de Deméter, Perséfone, que fora sequestrada por Hades, a divindade do mundo inferior. Esta narração contém a essência da cultura grega a respeito desta estação. “Entre outras coisas, os gregos associavam o mito à atividade agrícola e depositavam no outono as sementes para colher os resultados nas estações seguintes”, conta Eloísa. E completa: “para o ser humano, esse simbolismo é muito rico em significações, porque o outono representa para nós a necessidade de aprofundarmos em nós mesmos, deixando cair nossas folhas, ou seja, nossos pesares, nossos defeitos, medos e limites”.

Ao seguirmos o exemplo dos Grandes Filósofos, a Nova Acrópole busca o conhecimento que torna o ser humano melhor e mais capaz de plantar sementes valiosas – em si e nas pessoas ao seu redor.

Por isso, a chegada do Outono é celebrada com alegria, motivação e a certeza de semear sonhos e virtudes, para que a próxima estação nos receba um pouco mais puros, um pouco mais fortes e um pouco mais humanos.

 

 

Tags:

©2018 Organização Internacional Nova Acrópole - Brasil